CHAMADA N.14 V.24

CHAMADA PARA PUBLICAÇÃO

REVISTA TEXTO POÉTICO N.14, V. 24 2018/01

GRUPO DE TRABALHO TEORIA DO TEXTO POÉTICO – ANPOLL

 

Dossiê ARQUIVOS LITERÁRIOS DE POETAS: MATERIAIS E LEITURAS

A oficina de trabalho de um escritor é sempre um espaço de diferentes materiais de escrita que se cruzam ou se ocultam nas obras que vêm a público. Nem sempre há um escritório, por vezes há somente uma arca, apenas folhas ou, contemporaneamente, apenas a memória do computador. Seja como for, os escritores que partem deixam muitas vezes trilhas importantes de seu trabalho espalhadas em espólios, em cartas, que se transformam em objeto de investigação, permitindo que possam ser também conhecidas outras facetas de produção. Propõe-se, portanto, neste dossiê, pensar determinadas materialidades da escrita que permitam novas perspectivas críticas, diferentes abordagens e inesperados diálogos por outras vias de acesso ao trabalho poético. Assim sendo, o interesse do dossiê reside em acolher estudos sobre arquivos literários de poetas, obras inéditas, correspondência, projetos estéticos e outras produções muitas vezes esquecidas em revistas, coletâneas ou publicações de circulação restrita que, até então em zona obscura, vêm à luz para possibilitar outras leituras.

A Revista aceita também trabalhos sobre outros temas concernentes aos estudos de poesia para figurar na seção Vária.

Os artigos devem ser submetidos no próprio site da Texto Poético: http://revistatextopoetico.com.br/index.php/rtp

Período de submissão: de 20 de junho a 30 de agosto de 2017

 

 

Ida Alves (Universidade Federal Fluminense)

Rosa Maria Martelo (Universidade do Porto)

 

CHAMADA PARA PUBLICAÇÃO

REVISTA TEXTO POÉTICO N.14, V. 25 2018/02

GRUPO DE TRABALHO TEORIA DO TEXTO POÉTICO – ANPOLL

 

Dossiê João Cabral de Melo Neto

João Cabral de Melo Neto Cabral se posicionou de modo ostensivo e negativo diante de uma tradição lírica fundada na subjetividade do poeta e criou uma das obras poéticas mais originais da língua portuguesa e que melhor e mais tensamente dialogam com essa tradição. Sempre o primeiro leitor dele mesmo, como todo grande criador, Cabral terminou estabelecendo o modo de a sua poesia ser lida. Esse modo de ler foi seguido por parte considerável da crítica e terminou por se transformar, pela força da repetição, em verdadeiros truísmos, os quais, se não são inexatos, não dão conta das tensões e contradições que estão na base da poesia do autor. A proposta deste dossiê é acolher trabalhos que proponham novas perspectivas de leitura para a poesia de Cabral, seja enfocando um aspecto específico dessa poesia, seja examinando-a em clave comparativa com outro/s poeta/s ou outras artes.

A Revista aceita também trabalhos sobre outros temas concernentes aos estudos de poesia para figurar na seção Vária.

Os artigos devem ser submetidos no próprio site da Texto Poético: http://revistatextopoetico.com.br/index.php/rtp

Período de submissão: de 30 de setembro de 2017 a 30 de janeiro de 2018

 

 

Solange Fiuza (Universidade Federal de Goiás)

Joana Matos Frias (Universidade do Porto)

 



Indexado nas seguintes bases bibliográficas:

Periódicos Capes  Latindex  Diadorim  Abec  Google Acadêmico  Sumários.org  LIvre